APINEQ - Aplicações Industriais e Equipamentos, Lda


Fundada: 1995 | Sede: Leça do Balio | Área: Indústria

Ver Site

Vaz Martins


Nível de Heroísmo 4.5

Impacto Social

Capacidade Inspiracional 4.5588235294118

Número total de votos: 34

Um dia de cada vez mas o caminho é sempre em frente. O céu é o NOSSO limite.



01

Antes do salto

A APINEQ, com atividade registada desde janeiro de 1995, foi fundada com o objetivo de apresentar ao mercado uma panóplia de soluções para a vertente de engenharia de automação, nomeadamente através de projetos de artes gráficas, exploração e montagens elétricas, fornecimento de equipamento e desenvolvimento de software. Esta firma com uma natureza jurídica de sociedade por quotas foi resultado de uma sociedade entre dois amigos que se conheceram na faculdade e que, após trabalharem durante alguns anos em empresas distintas, decidiram unir-se e criar uma empresa com o que de melhor eles teriam para dar. Aqui surgiu o maior desafio da vida deles: começar um negócio do zero. Após altos e baixos e muita luta em busca da fidelização dos clientes ao final de cinco anos um dos sócios, por razões familiares, decidiu abandonar esta luta. Surge então o maior desafio para o Engenheiro Vaz Martins que decide manter a APINEQ.

02

O que motivou o salto

Iniciava-se então aqui a nova luta da APINEQ desta vez apenas com o Engenheiro Vaz Martins que tinha como objetivo agarrar novos mercados, maiores, mais estáveis. Ao final de dois anos e já com mais um engenheiro e dois técnicos a trabalhar com ele surgiu a oportunidade de realizar uma grande obra numa empresa muito poderosa na indústria de papel. Havia apenas um entrave, dos grandes até. Essa empresa exigia uma garantia bancária que estava ainda fora das possibilidades da APINEQ. Mas o Engenheiro Vaz Martins não desistiu e, com muita controvérsia familiar, decidiu ir em frente e deu a sua casa como garantia caso a obra não corresse bem. Como "depois da tempestade vem a bonança", a obra correu melhor do que o esperado e o cliente fidelizou-se à APINEQ, que ainda se mantém até hoje. A partir daqui a APINEQ ganhou confiança e deu o salto. A lista de clientes começou a crescer e com isso o número de funcionários também.

03

Dar ou não o salto

Tudo corria da melhor forma, tanto que o capital social da APINEQ passou de dez mil euros iniciais para cem mil euros em poucos anos. Com a chegada da crise em 2010 a APINEQ conseguiu manter o volume de negócios pois muitos eram ainda do ano anterior. As coisas pioraram no ano seguinte pois não havia negócios com a chegada da crise. Foram tempos difíceis sendo então necessário abrir o departamento comercial que começou a dar frutos passado um ano. Finalmente estabilizada, com clientes fidelizados e funcionários fixos a APINEQ sentiu necessidade de crescer e abraçar novas oportunidades de negócio.

04

O salto

No inicio de 2016 investiu-se na parte mecânica de modo a ser possível abranger mais clientes e de modo a conseguir fornecer toda a solução chave na mão. Contratam-se assim dois engenheiros para projeto mecânico e para montagem mecânica. Não foi fácil, foi preciso um grande investimento tanto em licenças como em materiais e em espaço. A primeira grande obra de mecânica não correu como esperado, ainda se procurava pelo melhor fornecedor, pelo melhor material, pela melhor solução e pelas melhores ideias. Pensou-se diversas vezes em recuar, em voltar a fazer apenas aquilo a que se estava habituado... Mas a APINEQ nunca desistiu de nada, não iria ser agora.

05

Os resultados do salto

A APINEQ continuou firme e sólida. As obras continuaram e continuam a cair incluindo as obras com parte mecânica. Os projetos já correm bem, os fornecedores já são fixos e de confiança. Os clientes gostaram da vontade de inovar da APINEQ e ajudaram muito. Confiaram e confiam muito. Mas claro, a APINEQ não ficará por aqui e já tem uma grande vontade de poder começar a produzir as próprias peças. Um dia de cada vez mas o caminho é sempre em frente. O céu é o NOSSO limite.

04

O salto

No inicio de 2016 investiu-se na parte mecânica de modo a ser possível abranger mais clientes e de modo a conseguir fornecer toda a solução chave na mão. Contratam-se assim dois engenheiros para projeto mecânico e para montagem mecânica. Não foi fácil, foi preciso um grande investimento tanto em licenças como em materiais e em espaço. A primeira grande obra de mecânica não correu como esperado, ainda se procurava pelo melhor fornecedor, pelo melhor material, pela melhor solução e pelas melhores ideias. Pensou-se diversas vezes em recuar, em voltar a fazer apenas aquilo a que se estava habituado... Mas a APINEQ nunca desistiu de nada, não iria ser agora.

05

Os resultados do salto

A APINEQ continuou firme e sólida. As obras continuaram e continuam a cair incluindo as obras com parte mecânica. Os projetos já correm bem, os fornecedores já são fixos e de confiança. Os clientes gostaram da vontade de inovar da APINEQ e ajudaram muito. Confiaram e confiam muito. Mas claro, a APINEQ não ficará por aqui e já tem uma grande vontade de poder começar a produzir as próprias peças. Um dia de cada vez mas o caminho é sempre em frente. O céu é o NOSSO limite.