Artefacto Construções e Decorações Lda


Fundada: 1993 | Sede: Maia | Área: Construção

Ver Site

Rui Pinto


Nível de Heroísmo 5

Impacto Social

Capacidade Inspiracional 5

Pontuação Apurada: 75

Na crise... nem tudo o vento levou!...



01

Antes do salto

A Artefacto é uma empresa com 25 anos de existência, especializada na concepção de lojas, escritórios, expositores e mobiliário. O gosto pela arquitectura/design e a criação e desenvolvimento de mobiliário numa procura constante de espaços diferenciados, sempre nos motivou.

No entanto, encontrámos no mercado uma necessidade ainda maior - o projecto “chave na mão” onde, através de um só interlocutor, se juntavam as várias áreas de intervenção nos espaços e se garantia um prazo de abertura da loja.

Em 1993 nasciam os grandes shoppings e com eles a necessidade do rigor e do compromisso de prazos. A Artefacto soube aproveitar a oportunidade, pois Portugal ainda não tinha este modelo implementado. Foi, de facto, uma excelente aposta!

Iniciámos na arquitectura de interiores, especificamente na área de retalho e com uma versatilidade em todo tipo de lojas, mas acabámos por nos especializar na área da óptica.

02

O que motivou o salto

Portugal começara a dar largos passos na concepção e desenvolvimento no mercado da óptica, ganhando uma notoriedade que é reconhecida em toda a Europa e pelos grandes “players” mundiais do sector, sejam eles fabricantes ou grandes grupos retalhistas.

Orgulhosamente a Artefacto ajudou e faz parte desse reconhecimento que tanto nos prestigia.

Sem preconceito de assumirmos o receio que tínhamos de sair da zona de conforto do nosso País, a crise em 2011 foi certamente o nosso maior motivo para o salto!

Hoje vemos que foi um erro não sairmos mais cedo, pois o nosso know-how e capacidade nesta área de negócio era já há algum tempo reconhecido por todos aqueles responsáveis estrangeiros que visitavam as lojas por nós concebidas e executadas.

03

O salto

Depois do susto e do primeiro impacto de vermos um país vazio por falta de trabalho e de expectativas reduzidas de uma melhoria a curto prazo, a decisão foi tomada rapidamente. Percebemos que era através da exportação que manteríamos vivos os postos de trabalho e a empresa.

O salto foi dado com muito receio, com mudanças a nível interno nos diversos departamentos e uma mentalidade renovada de que éramos capazes de nos equiparar à nossa concorrência europeia.

Reestruturámos a empresa e investimos em novos equipamentos, em mão de obra e em sistemas tecnológicos, o que nos permitiu quase triplicar a nossa capacidade de produção.

No entanto, como estávamos familiarizados com o segmento de mercado onde nos propúnhamos vencer e ocupar o nosso espaço, foi tudo acontecendo com naturalidade, cumprindo os requisitos de máximo profissionalismo e muita focalização nos objectivos a cumprir.

04

Os resultados do salto

O resultado de toda esta “aventura” divide-se em duas novas facetas:

- O orgulho e a auto-estima de toda a equipa sénior dos vários departamentos que tem testemunhado este percurso e, agora, as jovens equipas que se vão juntando a nós, assim como os nossos parceiros que têm vindo a crescer.

- Os resultados financeiros que não deixam dúvidas de que estamos no bom caminho.

Por último, cresceu em toda a equipa uma nova vontade de nos mostrarmos ao mundo, com o que de melhor se faz em Portugal ao nível do design, rentabilidade de espaços, funcionalidade e soluções para exposição!

04

Os resultados do salto

O resultado de toda esta “aventura” divide-se em duas novas facetas:

- O orgulho e a auto-estima de toda a equipa sénior dos vários departamentos que tem testemunhado este percurso e, agora, as jovens equipas que se vão juntando a nós, assim como os nossos parceiros que têm vindo a crescer.

- Os resultados financeiros que não deixam dúvidas de que estamos no bom caminho.

Por último, cresceu em toda a equipa uma nova vontade de nos mostrarmos ao mundo, com o que de melhor se faz em Portugal ao nível do design, rentabilidade de espaços, funcionalidade e soluções para exposição!