Radiadores Ideal Loures, Lda


Fundada: 1996 | Sede: Loures | Área: Serviços

Ver Site

Herculano Fernandes

Com apoio de Ceu Fernandes, Liliana Fernandes e Gonçalo Fernandes


Nível de Heroísmo 4.8611

Impacto Social

Capacidade Inspiracional 4.8492

Uma mão segurou a outra e, em vez dos braços caírem, as mãos ergueram-se

01

Antes do salto

Esta empresa nasceu em 96 da forma clássica. Patrão na oficina, mulher nas contas e mais um empregado. Em 10 anos permitiu organizar-se e passou de um quadro amador para um desenho completamente profissional com Dpt. Produção, Dpt. Comercial e Dpt. Financeiro. Em 04, um novo comercial começou a explorar outras áreas a fim de cativar novos clientes e em 06 abrimos a Radiadores Ideal Montijo e assim ficamos com a Ideal Loures a servir toda a área da grande Lisboa e Vale do Tejo, e a Ideal Montijo para toda a margem Sul e Alentejo. Com a falsa promessa do novo aeroporto e com a crise, passamos tempos de apreensão, porém continuámos, sobrevivemos e crescemos. 

02

O que motivou o salto

O salto foi motivado pelo alargar do leque de clientes numa determinada área, foi a necessidade da proximidade e da prontidão, foi a necessidade de expandir mas com a segurança e a certeza na equipa profissional que há por trás. Coincidiu também com a suposta ida do aeroporto para Alcochete e também com a entrada para a empresa do sucessor natural do negocio, que permitia a supervisão do Patrão em Loures e com a do filho no Montijo.

03

Dar ou não o salto

Tocam aqui num aspecto muito pessoal porque quem está a escrever é o sucessor e não o patrão, e toda o avanço da expansão ou criação para uma 2ª empresa passa de facto por uma decisão unicamente minha. As coisas na Ideal Loures estavam a correr muito bem. Boa carteira de clientes, boas empresas. Rodoviária Nacional, Vimeca, ScottUrb, muitas boas empresas de Transportes de Mercadorias como a Laso, TIEL enfim, muitas e grandes. Muito trabalho mesmo. Outrora já houvera uma 1ª tentativa de criação de uma nova empresa que foi a RI Ribamora, em Samora Correia, mas veio a revelar-se má aposta porque se tinha tornado numa localidade fantasma, com impossibilidade de criar zona de manutenção física (Oficina), mas acima de tudo ausência de supervisão ditou o pouco sucesso. Só fazia sentido dar o salto para outra zona se houvesse supervisão e como estando a organização principal em Loures seria impossível desdobrar-se e fazer o acompanhamento de ambas.

04

O salto

A decisão final foi motivada pelo convite feito pelo meu pai, para ser eu a ficar responsável pela nova empresa. Estava a trabalhar na área que me licenciei ( Agência de meios de Publicidade ) porém estava muito insatisfeito e, a partir do momento que decidi aceitar, foi o processo natural das coisas. Começamos por procurar espaço bem localizado, organizar equipa de trabalho, criar as condições necessáriase conseguir o básico para poder arrancar.

05

Os resultados do salto

Não chamaríamos mudança. Houve antes um ajuste, uma adaptação. Um novo olear, mesmo até ao nível de colaboradores, tiveram de lidar com uma nova realidade. Metade da equipa ficou em Loures a trabalhar porém todos participaram na criação e na montagem da infraestrutura inicial. A empresa teve de adquirir transporte para viabilizar a ida e a vinda dos empregados para o Montijo. No ano seguinte mudamos a imagem e criamos um logo uniforme para separar as 2 empresas no campo físico. Apesar de serem duas empresas fiscalmente independentes, unem-se pela sua especificidade de negocio e pelos seus donos.

04

O salto

A decisão final foi motivada pelo convite feito pelo meu pai, para ser eu a ficar responsável pela nova empresa. Estava a trabalhar na área que me licenciei ( Agência de meios de Publicidade ) porém estava muito insatisfeito e, a partir do momento que decidi aceitar, foi o processo natural das coisas. Começamos por procurar espaço bem localizado, organizar equipa de trabalho, criar as condições necessáriase conseguir o básico para poder arrancar.

05

Os resultados do salto

Não chamaríamos mudança. Houve antes um ajuste, uma adaptação. Um novo olear, mesmo até ao nível de colaboradores, tiveram de lidar com uma nova realidade. Metade da equipa ficou em Loures a trabalhar porém todos participaram na criação e na montagem da infraestrutura inicial. A empresa teve de adquirir transporte para viabilizar a ida e a vinda dos empregados para o Montijo. No ano seguinte mudamos a imagem e criamos um logo uniforme para separar as 2 empresas no campo físico. Apesar de serem duas empresas fiscalmente independentes, unem-se pela sua especificidade de negocio e pelos seus donos.