AMBIEXPRESS-GESTÃO DE RESIDUOS,LDA


Fundada: 2000 | Sede: PÓVOA DE SANTA IRIA | Área: Serviços

Ver Site

Rui Almeida

Com apoio de RICARDO ALMEIDA, RUI CALADO e SANDRA CORREIA


Nível de Heroísmo 4.8888888888889

Impacto Social

Capacidade Inspiracional 5

Número total de votos: 9

Lançámo-nos indo atrás de clientes nas Páginas Amarelas. Hoje eles são cerca de 300.



01

Antes do salto

Eu sonhava ser empresário desde miúdo. Tanto que, quando acabei o secundário, fiquei indeciso entre ir para a faculdade ou abrir um negócio. 

Acabei por escolher a primeira opção, mas em 1998 fiz uma viagem a Madrid que me fez mudar de ideias. Os contentores das obras que lá vi chamaram-me a atenção porque em Lisboa viam-se poucos. 

Uma parte da minha família já estava ligada à construção civil e descobri em conversas com pessoas da familia e não só que havia espaço para empresas deste tipo em Portugal.

Juntei-me ao meu irmão mais velho e a um amigo de infância, que na altura também estavam na faculdade, largámos os estudos, eu em gestão de marketing, eles em engenharia civil, e em 2000 criámos a Ambiexpress.

Pedimos um empréstimo bancário e, com um camião e 15 contentores, lançámo-nos a partir de um quarto de 22m2. 

Procurávamos empresas de construção nas páginas amarelas e iamos directamente as obras e apresentávamos a Ambiexpress. 

Foi assim que começámos a fornecer serviços de aluguer e transporte de contentores para resíduos de construção e demolição.

02

O que motivou o salto

Chegámos a enviar 200/300 fax e a fazer 300 chamadas por dia nessa fase.

Estávamos decididos a fazer diferente: investimos na imagem da empresa, o que nesta área não se fazia muito, e empenhámo-nos em pesquisar o que o nosso público-alvo mais precisava. 

Descobrimos que era capacidade de resposta. Daí decidimos que a nossa filosofia seria investir continuamente na empresa.

6 meses depois estávamos a comprar outro camião e passado um ano a mudar de instalações.

Mas em 2003, tivemos o nosso primeiro grande baque. A construção civil entrou em crise e tivemos dois acidentes seguidos com um dos dois camiões que tínhamos na altura. É claro que isto pôs a empresa em risco. 

Foi um período muito difícil, mas superámo-lo.

Continuámos a investir para melhorar as condições da empresa até que, em 2008/2009, vem um segundo período de dificuldades: uma nova crise com muitas falências na construção civil e várias empresas que nos ficaram a dever.

Este acontecimento voltou a colocar, infelizmente, a empresa em risco.

03

O salto

Essas duas fases foram as mais difíceis. Por isso, não podemos falar de um salto, mas sim de uma série de melhorias que fomos fazendo.

Em 2010 mudámos de instalações, concentrando os meios até aí dispersos num escritório e dois estaleiros.  

E aumentámos o capital social de 50.000€ para 125.000€.

Assim, em 2011, ficámos mais competitivos e recuperámos clientes e vendas. 

Nesse ano, passámos a ser a Ambiexpress – Gestão de Resíduos. Começámos a atividade de limpeza e remoção de resíduos de edifícios devolutos e apartamentos. E iniciámos o processo de licenciamento para a atividade de gestão de resíduos. 

Em 2012, já com esse licenciamento, deixámos de ser apenas transportadores para sermos também gestores de resíduos e operadores de triagem e armazenagem. 

Isto permitiu-nos ter uma redução de custos crucial com operadores de resíduos: menos 30% nesse ano. E diversificar os sectores com que trabalhamos, o que é importante para o negócio.

Tudo isto contribui para que nos fosse então atribuída a certificação PME Líder.

04

Os resultados do salto

Hoje a Ambiexpress tem cerca de 300 clientes, incluindo algumas das maiores construtoras do país.

É a terceira maior empresa do ramo a operar na Grande Lisboa e está presente na maior parte das grandes obras do distrito de Lisboa.

Construímos uma relação duradoura com muitos clientes: cerca de 45% estão connosco desde o início. Aliás, há engenheiros e encarregados que mudam de empresa e ligam a pedir propostas porque querem continuar a ser nossos clientes.

Temos 7 camiões, 1 carrinha, 163 contentores e 13 colaboradores – condições muito incomparáveis às que tínhamos no início.

De 2017 para 2018, por exemplo,a faturação cresceu 13%. 

Agora o objetivo é continuar a aumentar a quota de mercado, a faturação, a nossa notoriedade, apostar em novos equipamentos e serviços e recuperar a 100% dos prejuízos que sofremos com a última crise.

04

Os resultados do salto

Hoje a Ambiexpress tem cerca de 300 clientes, incluindo algumas das maiores construtoras do país.

É a terceira maior empresa do ramo a operar na Grande Lisboa e está presente na maior parte das grandes obras do distrito de Lisboa.

Construímos uma relação duradoura com muitos clientes: cerca de 45% estão connosco desde o início. Aliás, há engenheiros e encarregados que mudam de empresa e ligam a pedir propostas porque querem continuar a ser nossos clientes.

Temos 7 camiões, 1 carrinha, 163 contentores e 13 colaboradores – condições muito incomparáveis às que tínhamos no início.

De 2017 para 2018, por exemplo,a faturação cresceu 13%. 

Agora o objetivo é continuar a aumentar a quota de mercado, a faturação, a nossa notoriedade, apostar em novos equipamentos e serviços e recuperar a 100% dos prejuízos que sofremos com a última crise.