Cruz & Cruz, Lda - Fábrica de Redes


Fundada: 1981 | Sede: Póvoa de Varzim | Área: Indústria

Ver Site

Sheila Cruz

Com apoio de António Cruz e Adília Cruz


Nível de Heroísmo 4.984

Impacto Social

Capacidade Inspiracional 4.968

Pontuação Apurada: 1245

As dificuldades obrigaram-nos a arriscar e diversificar



01

Antes do salto

A fábrica de redes Cruz e Cruz foi fundada em 1981 por António Cruz. 

Filho de pescadores da Póvoa de Varzim, António cedo se apercebeu da dificuldade que existia em comprar redes de pesca quando eram necessárias. Por isso, após muitas dificuldades na vida e depois de passar por imensos empregos, iniciou a actividade de fabricação de redes de pesca com um empréstimo bancário conseguido ao fim de muitos anos.

As dificuldades foram inúmeras porque os juros eram a quase 30%.

Durante 10 anos, o trabalho foi árduo, foram várias as noites passadas a trabalhar quase 24 horas, muitas das vezes apenas com um banho e continuava a trabalhar de dia.

Havia um elevado empréstimo para pagar o mais rapidamente possível.

 Mas o esforço compensou e a empresa cresceu e tornou-se numa referência no ramo.

02

O que motivou o salto

Mas em 1991/92, a fábrica de redes Cruz & Cruz deparou-se com várias dificuldades.

A fraqueza da economia internacional e a política de consolidação orçamental contribuíram para acentuar ainda mais a contração da economia portuguesa.

A crise instalou-se e a concorrência asiática e com a facilidade que em Espanha havia de importar redes já prontas mais baratas do que nós conseguíamos comprar o fio, juntando aos impostos que tinham de pagar sempre muito superiores trouxe-nos inúmeras desvantagens.

Muitas foram as vezes que o Sr. Cruz expôs em seminários e muitas das vezes aos governantes para explicar a situação, mas pouco ou nada adiantou.

Claro que havendo importações dos países asiáticos começou a haver redes no mercado a preços muito mais baixo do que Cruz & Cruz conseguia fabricar.

António Cruz percebeu que, ou diversificava a actividade, ou corria a risco de deixar a empresa morrer.

03

O salto

A Cruz & Cruz quis crescer a todos os níveis para continuarem a garantir aos seus clientes os benefícios da aposta na qualidade desde a planificação à produção.  Passaram a ter um atendimento personalizado: cada caso eram um caso, cada cliente era um cliente diferente.

Foi nessa altura que, perante os contactos e pedidos que recebiam e perante uma análise ao mercado, tiveram a ideia de começar a produzir redes para outros fins. 

O mais importante era que a empresa continuasse a conseguir um crescimento sustentado das suas actividades.

Para tal foi necessário arriscar e investir na compra de um novo tear e em máquinas que permitissem torcer os fios deixando, assim, de depender de terceiros.

E assim começaram a produzir redes para a pesca industrial, desporto (futebol, entre outros), parques de aves cinegéticas (caça), redes de proteção, vedações e finalidades diversas tais como contenção de neve nas montanhas e tudo o que a nossa imaginação nos permitir.

Passado pouco tempo, António Cruz emigrou para Moçambique, onde tem neste momento 3 lojas, deixando a filha à frente da fábrica de redes da Póvoa de Varzim.

Sheila Cruz regista em 2009 a marca QUIRIMBAS.pt que ajudou também no salto da empresa. Num mundo globalizado e à procura de novos mercados, uma marca é um fator essencial de sucesso.

04

Os resultados do salto

O resultado do salto foi a salvação da empresa. Se não se tivesse optado por diversificar os produtos, investir em outros mercados e se continuasse apenas a produzir redes de pesca, com toda a certeza Cruz & Cruz não sobrevivia. 

Desta forma, pelo contrário, a empresa cresceu. Conta hoje com 8 pessoas e fatura mais de 300.000€.

A concorrência é muita, com preços bastante baixos, mas a qualidade dos produtos de “Cruz & Cruz” aliada à seriedade com que a empresa trabalha tem permitido continuar a melhorar a confiança e dedicação dos clientes atuais e aumentar até o número e qualidade dos mesmos.

É legítimo apontar-se para a continuação do crescimento da empresa em bases sustentáveis, tendo no entanto bem presente a constante incerteza da evolução dos preços que pode vir a contribuir negativamente para os resultados previstos.

Pretendemos continuar a desenvolver relações sólidas e duradouras com os nossos clientes, sustentadas na qualidade do serviço ao cliente, na personalização da relação e na confiança recíproca.

É importante referir que a empresa continua a efetuar um esforço contínuo na conceção e introdução no mercado, quer de novos produtos, quer de produtos existentes mas substancialmente melhorados.

04

Os resultados do salto

O resultado do salto foi a salvação da empresa. Se não se tivesse optado por diversificar os produtos, investir em outros mercados e se continuasse apenas a produzir redes de pesca, com toda a certeza Cruz & Cruz não sobrevivia. 

Desta forma, pelo contrário, a empresa cresceu. Conta hoje com 8 pessoas e fatura mais de 300.000€.

A concorrência é muita, com preços bastante baixos, mas a qualidade dos produtos de “Cruz & Cruz” aliada à seriedade com que a empresa trabalha tem permitido continuar a melhorar a confiança e dedicação dos clientes atuais e aumentar até o número e qualidade dos mesmos.

É legítimo apontar-se para a continuação do crescimento da empresa em bases sustentáveis, tendo no entanto bem presente a constante incerteza da evolução dos preços que pode vir a contribuir negativamente para os resultados previstos.

Pretendemos continuar a desenvolver relações sólidas e duradouras com os nossos clientes, sustentadas na qualidade do serviço ao cliente, na personalização da relação e na confiança recíproca.

É importante referir que a empresa continua a efetuar um esforço contínuo na conceção e introdução no mercado, quer de novos produtos, quer de produtos existentes mas substancialmente melhorados.