Forave- Associação para Educação Profissional do Vale do Ave

Fundada: 1989 | Sede: Lousado | Área: Serviços

Ver Site

Manuela Guimarães

 


Prémios: Sustentabilidade - Factor S

Nível de Heroísmo 4.9074074074074

Impacto Social

Capacidade Inspiracional 4.929012345679

Nª de Votos: 324 Sustentabilidade

Formação profissional impulsiona índice de empregabilidade em Famalicão



02

PRÉMIO FACTOR S - SUSTENTABILIDADE

A Escola Profissional FORAVE foi criada em 1990, em Famalicão, na região do Médio Ave, e tem como missão formar técnicos qualificados para as necessidades do tecido empresarial. Com um Projeto alinhado com as empresas e com as políticas educativas de qualificação de jovens e de adultos, a FORAVE especializou-se nas áreas de Gestão Industrial, Eletrónica e Automação, Manutenção Industrial, Mecatrónica e Polímeros e destacou-se pelo índice de empregabilidade próximo dos 100%. Tem uma estrutura sócio económica que lhe permite uma posição relevante no contexto educacional. A identidade industrial tem-lhe valido destaque no meio e o reconhecimento das empresas, como um parceiro fidedigno no âmbito da formação e qualificação técnica, contando com empresas de relevo no território.

Fomos verificando que uma tendência na diminuição do número de candidatos, devido essencialmente a:

- Decréscimo de natalidade;

- Concorrência direta pelo alargamento da oferta dos Cursos; Profissionais à escola pública, que retém os alunos nas suas ofertas formativas;

- Desinformação de pais e alunos relativamente à mais valia do Ensino Profissional;

- Interesse dos jovens por áreas menos prioritárias para o mercado de trabalho;

- O género feminino não está culturalmente orientado para as STEM;

- A aposta no marketing e na divulgação não estava a ter o retorno proporcional ao investimento.

A FORAVE compreendeu que programar é uma grande competência do século XXI e percebeu que a linguagem baseada em comandos faz parte da literacia digital das novas gerações. 

E assim nasceu o CR - CLUBE DE ROBÓTICA, resultado desta consciência. Inicialmente destinado aos alunos da FORAVE, rapidamente, se estende à comunidade, através do protocolo com a Escola de Ribeirão e a empresa Continental. 

“O que nos caracteriza é o espírito empreendedor, o que nos diferencia é a relação com as empresas, o que nos move é antecipar juntos o futuro. A FORAVE SABE FAZER E AS EMPRESAS SABEM.”

Em 2018, é lançado o CR na Escola EB2,3 de Ribeirão, para apresentar aos alunos do 3º ciclo a área da robótica, desenvolver competências em programação e no domínio do raciocínio lógico e matemático, motivar o género feminino para as STEM e antecipar a orientação vocacional para as tecnologias. O CR organiza-se em 7 sessões em Ribeirão, no âmbito das a FORAVE assegura a logística para os workshops, e termina na Roboparty na UM. O CR envolve cerca de 20 jovens/ano entre os 12 e 15 anos. São acompanhados por 3 professores e alunos da FORAVE do Curso de Automação. A tutoria de pares é o fator distintivo e potenciador do sucesso. 

Este projeto foi possível pela participação da Continental, desafiada a patrocinar o projeto, que é associada da FORAVE e recetora de técnicos de Automação Industrial. A parceria insere-se na política de responsabilidade social da empresa e contribui para a capitalização dos recursos humanos da Continental. 

Atualmente, o CR já vai na 3ª edição com um impacto excelente na comunidade escolar de Ribeirão. Aumentou o interesse pelos cursos da FORAVE, estreitaram-se relações, ganhou-se confiança para desenvolver projetos, dissipou-se a desconfiança relativamente ao Ensino Profissional, aumentou o número de inscrições, incluindo algumas do género feminino. Os tutores ganharam empoderamento e autoconfiança, obtiveram melhores resultados, aumentaram a motivação e elevaram expectativas. 

A Câmara de Famalicão atribuiu à FORAVE, em 2019, o Selo Famalicão Visão’25, pela iniciativa empreendedora e pelo contributo à comunidade, destacando-o como um bom exemplo de colaboração e cooperação entre o mundo escolar e empresarial. As boas práticas levaram a autarquia a reproduzir o projeto, em 2020, nos oito Agrupamentos do Concelho, contando com o financiamento da Continental e com a continuidade da colaboração da FORAVE. Ao nível nacional, as boas práticas foram reconhecidas, no 3º lugar, no âmbito do PRÉMIO POCH–Capital Humano. O Projeto foi apresentado nas 2as Jornadas - Plano de Recuperação das Aprendizagens, da DGE.