Lightbox


Fundada: 2005 | Sede: Porto | Área: Outros

Ver Site

Lightbox

Com apoio de Luis Ismael e Joaquim Duarte


Nível de Heroísmo 4.6919831223629

Impacto Social

Capacidade Inspiracional 4.7004219409283

Pontuação Apurada: 1108

Quando o mais seguro era dizer "Não", dissemos: "Porque não?"



01

Antes do salto

A Lightbox nasce em 2005 pela vontade de dois amigos de fazer cinema em Portugal.

A teimosia destes dois jovens de Valongo que imaginavam o Porto do lado de lá da serra fez com que nunca desistissem desse sonho. Não queriam fazer mais do mesmo. Queriam fazer cinema à sua maneira contrariando os lobbies da capital.

Para isso, tinham de ganhar dinheiro para conseguir fazer o cinema que queriam. A forma mais rápida de conseguirem e de ao mesmo tempo ganharem ainda mais experiência foi fazendo publicidade e filmes corporativos.

Sempre com uma atenção à história, ao detalhe e à qualidade técnica como se de cinema se tratasse, mantendo uma postura justa perante o cliente, uma humildade de quem acredita no seu trabalho sem presunções.

Foi a atitude perseverante deles, de acreditar que eram capazes, que fez com que a empresa começasse com 4 pessoas e hoje tenha mais de 40 pessoas não a trabalhar para si, mas consigo.

Mas foi preciso que no primeiro ano os sócios não recebessem ordenado.

02

O que motivou o salto

A Lightbox começou a estabelecer-se no mercado e cada vez mais a distanciar-se da concorrência.

Começava a ganhar um estatuto mais premium e começou a conquistar a confiança de grandes marcas nacionais para produzir os seus filmes.

Os sócios sabiam claramente que a inovação era o segredo para a não estagnação e consequente "morte" de uma empresa, principalmente numa empresa criativa.

E por isso, desde a sua criação que a gestão da empresa foi feita com base em investimento: a cada trabalho ganho, cada investimento feito.

Em alguns casos, o lucro era nulo. Sabiam que só assim podiam continuar a conseguir os melhores resultados e a manter tanto o cliente como a reputação no mercado. Mas queriam mais.

O que mais caracteriza a Lightbox é mesmo a perseverança e o não ter medo. Nenhum grande projecto foi recusado. Se não havia equipa, contratava-se. Se não havia equipamento, comprava-se. Nunca se recuou por medo. A liderança da Lightbox sempre procurou e levou consigo uma equipa "bora lá".

03

O salto

Corria o ano de 2011. Plena crise. Os clientes tinham medo de investir e a gestão das empresas corta onde acham que menos precisam: na comunicação.

A decisão mais fácil era fechar a empresa (e mais segura para os sócios garantire m alguma estabilidade para si próprios).

Reunião geral. É feita uma comunicação a toda equipa com opção de escolha: ou os salários eram diminuídos em 10% ou era necessário despedir no mínimo 3 pessoas. Tensão.

Os sócios acreditavam que conseguiam ultrapassar esta fase e não queriam despedir ninguém, mas não podiam obrigar ninguém a acreditar tanto quanto eles. Só uma pessoa desistiu.

Uns meses depois surge mais um grande projecto. Era necessário mais gente: Aumentámos equipa. Era necessário mais espaço: Aumentámos instalações. O resultado foi mais um sucesso.

Meses depois, os salários voltam a ser repostos. E mais uma vez os sócios sabiam que estavam a fazer história num mercado tão competitivo e instável, mas com a certeza de que estavam a fazer o caminho certo.

04

Os resultados do salto

Hoje a Lightbox é a maior produtora do Porto e uma das maiores a nível nacional.

Emprega cerca de 40 pessoas diariamente e cerca de 20 em regime freelancer. Factura quase 2 milhões de euros por ano sem nunca ter feito trabalho comercial porta a porta.

É o seu trabalho que a vende. E como vende! É procurada para os projectos mais importantes das maiores empresas a nível nacional.

Criou uma segunda marca, de aluguer de equipamento e recebe produtoras internacionais que vêm filmar no nosso país.

Está a aumentar ainda mais as instalações com um investimento de 400 mil euros.

É assediada diariamente por bancos. É conhecida e reconhecida e continua a saber que ainda pode ir mais longe mantendo o lugar que conquistou no mercado e querendo sempre manter a diferença.

E o mais bonito desta história e foi aí que a história começou: Já produzimos 5 longas metragens de sucesso em Portugal e estamos a caminho da 6ª.

Tudo pelas mãos de dois teimosos miúdos que tinham um sonho.

04

Os resultados do salto

Hoje a Lightbox é a maior produtora do Porto e uma das maiores a nível nacional.

Emprega cerca de 40 pessoas diariamente e cerca de 20 em regime freelancer. Factura quase 2 milhões de euros por ano sem nunca ter feito trabalho comercial porta a porta.

É o seu trabalho que a vende. E como vende! É procurada para os projectos mais importantes das maiores empresas a nível nacional.

Criou uma segunda marca, de aluguer de equipamento e recebe produtoras internacionais que vêm filmar no nosso país.

Está a aumentar ainda mais as instalações com um investimento de 400 mil euros.

É assediada diariamente por bancos. É conhecida e reconhecida e continua a saber que ainda pode ir mais longe mantendo o lugar que conquistou no mercado e querendo sempre manter a diferença.

E o mais bonito desta história e foi aí que a história começou: Já produzimos 5 longas metragens de sucesso em Portugal e estamos a caminho da 6ª.

Tudo pelas mãos de dois teimosos miúdos que tinham um sonho.