Toldos Norte


Fundada: 2016 | Sede: Paredes | Área: Indústria

Ver Site

Ricardo Lopes

Com apoio de Emanuel Pacheco


Nível de Heroísmo 0

Impacto Social

Capacidade Inspiracional 0

Pontuação Apurada: 0

Não podemos desistir do que achamos ser o melhor caminho.



01

Antes do salto

Depois de me ter licenciado em engenharia eletrotécnica e de já ter trabalhado numa grande multinacional da área da eletrotecnia, recebi uma proposta para ser sub-diretor de produção numa empresa de serralharia, em 2015.

Infelizmente, acabei por não me identificar com a forma de trabalhar dessa empresa. Além disso era um sítio onde não se dava muito valor aos funcionários. 

Juntei-me a mais dois colegas que também estavam insatisfeitos e fomos começando a fazer planos para criar a nossa própria empresa.

Quando saímos de onde estávamos, foi isso que fizemos.

Eu sempre tive uma veia empreendedora desde pequeno e achei que era uma oportunidade para concretizar o sonho de ser empresário. 

02

O que motivou o salto

Podia estar confortavelmente a trabalhar numa multinacional ou consultora - e a ganhar muito mais - mas decidi que arriscar seria melhor para a minha realização pessoal. 

Assim, em Janeiro de 2017, criámos a Toldos Norte, uma empresa que faz diversos tipos de cobertura para vários ramos de atividade, principalmente em lona pvc.

Fizemos tudo com capital próprio e acreditámos que ia correr tudo bem.

Mas cometemos o erro de apostar em instalações que eram grandes demais para o início de uma empresa, numa zona muito boa, próxima do Porto, logo inflacionada.

Os primeiros três meses foram horríveis. Nem sequer conseguíamos pagar essas instalações.

Se queríamos que o nosso negócio sobrevivesse, tínhamos de fazer uma mudança drástica. Na mesma altura, um dos meus dois sócios começou a mostrar que queria seguir outro caminho e que não concordava com esta visão, o que complicou ainda mais a situação.

A Toldos Norte era ainda uma empresa embrionária e já estava a passar por um período em que ia ser preciso tomar decisões muito difíceis.

03

O salto

Em Dezembro de 2017 mudámos de instalações e em Abril de 2018 esse nosso sócio que estava em desacordo connosco saiu da empresa.

Passámos para instalações com metade do espaço e mais periféricas, mas como o nosso negócio está muito ligado à indústria sabíamos que não era preciso estar tão próximo do centro.

Do lado negativo perdemos alguns clientes, mas eram clientes que davam pouca faturação. E tivemos de começar do zero no que diz respeito a fornecedores.

Apesar disso poupámos nos custos de deslocação da mão-de-obra e aumentámos a produtividade. 

Foram tudo lições novas para quem nunca tinha estudado ou tido experiência em gerir negócios.

Esse período de Dezembro de 2017 a Abril de 2018 foi de grande cansaço e desmotivação, tive inclusive de me mudar de Sintra para o Porto. 

Pensei em largar tudo, mas não ia deixar o meu sócio na mão. Nem queria abandonar um projeto que podia ser para a vida. Simplesmente não podia fugir na primeira adversidade.

04

Os resultados do salto

A nossa aposta em mudar de instalações provou estar certa.

Tudo começou a correr melhor e no Verão de 2018, conseguimos um novo cliente que nos trouxe uma grande faturação - fechámos o ano a faturar 260 mil euros.

Em Julho/Agosto já tínhamos pago a quota ao nosso ex-sócio.

Adquirimos mais maquinaria, mais uma viatura e já recuperámos todo o investimento inicial. 

Criámos 3 postos de trabalho – com pessoas que estavam em situação de desemprego – e no momento estamos à procura de uma quarta.

Temos entrado noutros ramos de atividade e a ideia é termos vários clientes base para não estarmos dependentes de nenhum em particular.

Também já pensamos em adquirir novas instalações e diversificar as áreas de atividade.

A lição que se pode tirar do exemplo da Toldos Norte é que é preciso delinear bem o que se quer e preparar as coisas antes de se atirar de cabeça. E é claro, é preciso muita vontade para não desistir à primeira.

Temos de ser flexíveis e estar preparados para nos adaptarmos a novas situações, mas ao mesmo tempo intransigentes para não desistirmos do que achamos ser o melhor para nós.

O importante é não deixar os clientes ficarem mal, porque se isso acontecer eles vão querer ficar connosco.

04

Os resultados do salto

A nossa aposta em mudar de instalações provou estar certa.

Tudo começou a correr melhor e no Verão de 2018, conseguimos um novo cliente que nos trouxe uma grande faturação - fechámos o ano a faturar 260 mil euros.

Em Julho/Agosto já tínhamos pago a quota ao nosso ex-sócio.

Adquirimos mais maquinaria, mais uma viatura e já recuperámos todo o investimento inicial. 

Criámos 3 postos de trabalho – com pessoas que estavam em situação de desemprego – e no momento estamos à procura de uma quarta.

Temos entrado noutros ramos de atividade e a ideia é termos vários clientes base para não estarmos dependentes de nenhum em particular.

Também já pensamos em adquirir novas instalações e diversificar as áreas de atividade.

A lição que se pode tirar do exemplo da Toldos Norte é que é preciso delinear bem o que se quer e preparar as coisas antes de se atirar de cabeça. E é claro, é preciso muita vontade para não desistir à primeira.

Temos de ser flexíveis e estar preparados para nos adaptarmos a novas situações, mas ao mesmo tempo intransigentes para não desistirmos do que achamos ser o melhor para nós.

O importante é não deixar os clientes ficarem mal, porque se isso acontecer eles vão querer ficar connosco.